33.8 C
Brasil
terça-feira, junho 15, 2021
Início Tecnologia A estante de livros virou a decoração preferida para as videoconferências

A estante de livros virou a decoração preferida para as videoconferências

Um inusitado efeito colateral da avassaladora entrada das videoconferências no cotidiano de um sem­-número de pessoas é a volta à cena de um tipo de móvel que, na era digital, perdera um tanto do seu charme: a estante de livros. De repente, ela se transformou na decoração de fundo preferida de quem se põe diante da câmera de smart­phones e notebooks para participar, em especial, de reuniões de trabalho ou de entrevistas (no caso de jornalistas de TV, naturalmente as duas modalidades se esbarram).

É compreensível. Aquele desfile estático de romances, volumes de ensaio, biografias etc. ao longo de prateleiras e prateleiras ajudaria a incutir um ar de respeitabilidade, de cultura, de conhecimento de causa à fala de quem aparece no vídeo. Para os que se posicionam do lado oposto, haveria ainda a irresistível tentativa de descobrir o que as lombadas revelariam sobre o intelecto do interlocutor. Como de praxe, a internet não perdeu a chance de fazer piada com a novidade. Assim, as bibliotecas domésticas exibidas nas chamadas de vídeo viraram memes rapidamente.

No Twitter, o perfil Bookcase Credibility, em tom bem-humorado, assegura: “O que você diz não é tão importante quanto a estante de livros atrás de você”. A página se propõe a analisar uma suposta credibilidade das coleções de obras de quem participa de programas de televisão por meio de videochamada. Pontuando alto em todos os quesitos propostos, o âncora da rede americana CNN Anderson Cooper, que tem transmitido direto de sua casa, levou o prêmio como um dos fundos de estante de maior bom gosto.

Um viral divertido é a paródia de um anúncio que mostra um suporte de papelão com uma falsa estante de livros impressa. Apresentado como “perfeito para atores, jornalistas e comediantes”, ele poderia ser adquirido ao preço de 150 euros (cerca de 1 000 reais). A fotomontagem foi criada pelo ilustrador madrilenho Eduardo Berazaluce. E, para quem não tem o indispensável acessório, os apps já permitem retirar o fundo da transmissão em um recorte digital bastante grosseiro e trocá-lo por outro, falso — nesse caso, buscando no Google a imagem da estante dos sonhos.

Publicado em VEJA de 20 de maio de 2020, edição nº 2687

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Ultimas Notícias

Criador de empresa que ajudou a capturar Bin Laden fala em painel na terça

Joe Lonsdale participará nesta terça, às 19h30, do segundo painel da edição deste ano do Brazil at Silicon Valley, evento organizado por ex-alunos brasileiros...

Itaú é primeiro banco do país com agência conectada ao 5G

O Itaú, em parceria com a Vivo Empresas, é o primeiro banco no país a ter uma agência física utilizando o padrão de conectividade...

Jeff Bezos: Para o alto e avante

Iates e jatinhos todo bilionário tem. Já o dono da Amazon, Jeff Bezos, o maior de todos os ricaços, tem um foguete para chamar...

Startups tornam real o sonho dos carros voadores

Em 2050, 9,8 bilhões de pessoas estarão vivendo na Terra. Quase 70% delas em centros urbanos, o que impõe enormes desafios ao transporte público....