Após passar por duas cirurgias, menino que é apaixonados por cavalos, recebe surpresa de hospital em SP para acelerar alta

Após passar por duas cirurgias, menino que é apaixonados por cavalos, recebe surpresa de hospital em SP para acelerar alta

setembro 20, 2019 0 Por Joana Figueredo

Yuri Maia, de 7 anos, faz tratamento de osteomielite em hospital em São Bernardo do Campo. Ele é apaixonado por cavalos e disse que encontro foi ‘melhor que fazer raio-X’.

Menino recebe visita de cavalo em porta de hospital no ABC paulista
Menino recebe visita de cavalo em porta de hospital no ABC paulista

O menino Yuri Maia, de 7 anos, está internado para tratar osteomielite na perna esquerda há mais de duas semanas. Neste período ele passou por duas cirurgias em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista. O tempo de internação até receber alta só deve acabar em dez dias, segundo projeções médicas. Apesar de toda a dificuldade que o garoto passa com a rotina hospitalar, ele nunca deixou de lado a paixão que tem por cavalos.

Foi pensando em animar um pouco mais a recuperação de Yuri que uma equipe multidisciplinar do Hospital Assunção – Rede D’Or São Luiz resolveu surpreender o menino com a visita inusitada de um cavalo, na verdade, da égua Lady Bela, da raça Paint Horse.

As enfermeiras que cuidam de Yuri perceberam que o menino fala a todo tempo sobre cavalos, de como gosta de cavalos e das saudades que tem do Trovão, o cavalo que ganhou de presente do pai, mas que não vê apenas nas férias, quando viaja para a terra natal dos pais, o Ceará.

No começo da tarde desta quinta-feira (19), Yuri saiu do quarto certo de que iria fazer mais uma bateria de raio-X, mas foi surpreendido quando desceu do elevador direto na recepção do hospital. Atrás da porta de vidro estava lá a imponente égua de pelagem e crina brancas, franja ruiva e olhos azuis.

Yuri com os pais e a égua que foi visitá-lo no Hospital Assunção — Foto: Glauco Araújo/G1
Yuri com os pais e a égua que foi visitá-lo no Hospital Assunção — Foto: Glauco Araújo

A reação dele foi a de imediatamente abrir um sorriso encabulado e descrente. Assim que as portas automáticas da recepção se abriram e ele foi empurrado em uma cadeira de rodas até perto de Lady Bela Yuri se deu conta de que aquilo tudo era para ele.

Uma das enfermeiras ainda chega a perguntar se ele queria montar, mas ele recusou ainda revestido de toda timidez infantil, mas uma segunda pergunta foi suficiente para que ele aceitasse.

O pai, Josivan Maia, 37 anos, que trabalha como comerciante em São Paulo, mas que é cavaleiro de vaquejada no interior de Fortaleza, não demorou para carregar o filho e colocá-lo na sela.

Durante cerca de 30 minutos, Yuri não tirou o sorriso do rosto e o brilho no olhar. Ele deixou de lado o desconforto das cicatrizes recentes que ele tem na perna em decorrência de duas cirurgias e cavalgou por alguns metros no estacionamento do hospital.

Ali ele ficou alguns minutos alisando a pelagem de Lady Bela. Não demorou muito para ele ganhar o direito de dar uma segunda volta com a égua. Ao fim, ele confidenciou baixinho ao pé do ouvido do pai vaqueiro. “Foi melhor e mais divertido que raio-X”, resumiu Yuri.

Cuidados sanitários

Égua Lady Bela recebeu banho e tratamento especial para poder se encontrar com o menino — Foto: Glauco Araújo/G1
Égua Lady Bela recebeu banho e tratamento especial para poder se encontrar com o menino — Foto: Glauco Araújo

Antes de proporcionar o encontro, o hospital tomou todos os cuidados sanitários e de prevenção de riscos infecciosos com a presença da égua em ambiente hospitalar, mesmo que do lado de fora.

O responsável pelo animal, Erick Eloi, disse que Lady Bela recebeu banho antes de sair do haras, no Bairro Riacho Grande, em São Bernardo do Campo, e seguir até o hospital.

Assim que desembarcou, Lady Bela teve as patas e cascos lavados para evitar qualquer tipo de contaminação. Ela está preparava para conviver perto de humanos, pois passou pelo processo de adestramento humanizado.

Cuidado semelhante recebeu Yuri, que teve a perna protegida por plástico filme, além do curativo nas cicatrizes.

Alfredo Coletti, diretor técnico do Hospital Assunção, disse que o menino está fazendo o segundo ciclo de tratamento, que é de longa duração. “É uma doença benigna e que vai ter um sucesso de cura. Depois da alta ele deve seguir o tratamento domiciliar. “

O efeito da visita de Lady Bela na recuperação de Yuri é o mais positivo possível. “A gente tem um programa chamado ‘o que importa para você’ e a gente tenta descobrir os sonhos e desejos dos pacientes internados e o Yuri mostrou uma paixão muito grande por cavalos.”

“A medicina, por estudos não científicos, mas estudos de comparações, a gente consegue demonstrar um processo de aceleração de cura toda vez que a gente aproxima o paciente daquilo que importa para ele. No Yuri, especificamente, foi com a presença do cavalo. A satisfação e a liberação de vários hormônios pela satisfação de estar presente com um animal que ele adora isso vai ajudar demais na recuperação dele”, disse Coletti.

Yuri Maia, 7 anos, tem paixão por cavalos desde os 3 anos. Ele está internado e recebeu a visita da égua Lady Bela — Foto: Glauco Araújo/G1
Yuri Maia, 7 anos, tem paixão por cavalos desde os 3 anos. Ele está internado e recebeu a visita da égua Lady Bela — Foto: Glauco Araújo

Paixão por cavalos

A mãe dele disse que o primeiro contato do filho com cavalos foi aos 3 anos, quando ele viajou sozinho com o pai para o Ceará.

“Não é de hoje, desde os 3 anos de idade que ele tem esse amor por cavalos. Ele tem muitos brinquedos de cavalos. Até hoje ele brinca de cavalo de pau, daqueles antigos, com uma cabeça de cavalo e um pedaço de pau. Ele já cresceu vendo o pai cavalgando e por isso isso ele fala que quando crescer vai ser vaqueiro e correr em vaquejada”

“É muito bom, só vendo ele feliz já está bom. Desde criança que eu tenho a cultura do Ceará com animais, correr vaquejada, sempre gostei disso. Era para a gente estar lá no Ceará, mas adiamos por causa do tratamento dele”, disse o pai Josivan.

Ele disse que pretende se mudar com a família em definitivo para Fortaleza assim que o filho terminar o tratamento.

Yuri Maia, 7 anos, não queria mais voltar para o quarto depois de cavalgar por estacionamento de hospital durante visita da égua Lady Bela — Foto: Glauco Araújo/G1
Yuri Maia, 7 anos, não queria mais voltar para o quarto depois de cavalgar por estacionamento de hospital durante visita da égua Lady Bela — Foto: Glauco Araújo