21.4 C
Brasil
domingo, novembro 29, 2020
Início Mundo Universidade em Lisboa é pichada com insultos racistas contra brasileiros

Universidade em Lisboa é pichada com insultos racistas contra brasileiros

Os muros da Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, foram pichados com insultos racistas e xenofóbicos na madrugada desta sexta-feira, 29. As inscrições falam em uma “Europa branca” e pedem que os estudantes brasileiros da faculdade “voltem para as favelas”.

Uma das pichações faz referência direta aos imigrantes brasileiros. “Zucas, voltem para as favelas. Nos vos queremos aqui”, diz a inscrição, usando o apelido pelo qual os brasileiros são conhecidos em Portugal.

Muros de Lisboa amanheceram pichados nesta sexta-feiraArquivo pessoal/Reprodução

Outras mensagens de conteúdo racista também fora identificadas, como “Viva a raça branca” e “Fora com os pretos”. Segundo alunos da instituição, os muros da universidade amanheceram com as pichações. As paredes de uma escola secundária de Lisboa também foram vandalizadas.

Esta não é a primeira vez que alunos da Católica Portuguesa relatam casos de racismo e xenofobia entre os portugueses da instituição. Em junho, conteúdos da mesma natureza foram postados em um grupo nas redes sociais formado por estudantes do curso de Direito.

Na época, a universidade afirmou que abriu um processo disciplinar interno para investigar os responsáveis. “Do mesmo modo, irá apresentar uma queixa ao Ministério Público por crime de discriminação racial”, afirmou a instituição em nota.

“Desde que cheguei em Lisboa já tinha passado várias situações complicadas por ser brasileira, por exemplo, um queridíssimo professor falou para eu tomar cuidado para não passar nenhuma doença tropical para a sala”, relata a estudante de direito Ana Luisa Tinoco. Segundo a brasileira natural de São Paulo, situações como essa se tornaram recorrentes.

Pichações racistas e xenofóbicas em Lisboa nesta sextaArquivo pessoal/Reprodução

Em abril de 2019, um caso semelhantes aconteceu na Universidade do Porto. Um caixote de madeira com pedras amanheceu em um corredor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDUL) com a seguinte frase: “Grátis se for para atirar em um ‘zuca’ (que passou na frente no mestrado)”. A inscrição foi interpretada como um convite ao apedrejamento dos brasileiros.

Continua após a publicidade

- Advertisment -

Ultimas Notícias

Graciele Lacerda faz revelação sobre Zezé Di Camargo após morte do pai

Graciele Lacerda é noiva de Zezé Di Camargo (Imagem: Reprodução – Instagram / Montagem – RD1) Zezé Di Camargo perdeu o pai, Seu Francisco, nesta semana,...

Tom Veiga recebe homenagem da ex-mulher com atitude comovente

Tom Veiga fazia o Louro José (Imagem: Reprodução – Instagram / Montagem – RD1) Ex-mulher de Tom Veiga, Alessandra Veiga criou um perfil especial no...

Luiz Fernando Guimarães adota crianças com marido e divulga 1ª foto

Luiz Fernando Guimarães ao lado do marido (Imagem: Reprodução / Instagram) Luiz Fernando Guimarães e o marido, Adriano Medeiros, concluíram o processo de adoção de...

Ludmilla volta a alfinetar Anitta e diz que é “rainha” em vez de “patroa”

Anitta e Ludmilla brigaram após música juntas (Imagens: Reprodução -Instagram / Montagem – RD1) A briga entre Anitta e Ludmilla parece estar longe de terminar....