22 C
Brasil
terça-feira, novembro 24, 2020
Início Corona Vírus Brasil cria 314 mil vagas formais em setembro, o melhor resultado para...

Brasil cria 314 mil vagas formais em setembro, o melhor resultado para o mês desde 1992

mercado de trabalho brasileiro registou em setembro o terceiro mês consecutivo de saldo positivo na criação de postos de trabalho formal. No último mês, foram registrados 313.564 novas vagas com carteira assinada ante desligamentos – o melhor resultado para o mês desde 1992, quando iniciou a série histórica –, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério da Economia nesta quinta-feira, 29. O saldo é o resultado de 558.597 contratações diante de 1.065.945 demissões. No acumulado do ano, o saldo é negativo em 849.387 vagas de emprego, decorrente de 10.617.333 admissões e 11.175.930 desligamentos.Em agosto, o saldo encerrou com 249.388 vagas criadas a mais que fechadas.

Os dados mostram que houve abertura de vagas em todas os cinco segmentos classificados pelo Caged. O bom desempenho do mês foi puxado principalmente pela indústria da transformação, com 108.283 vagas a mais.  Já o setor de serviços praticamente dobrou a criação de vagas em setembro na comparação com agosto, passando de 42.545 para 80.481. Destaque para a área de alojamento e alimentação, que teve resultado positivo pela primeira vez desde o início da pandemia com a abertura de 4.637 novas vagas. No comércio foram 69.239 novos postos, na construção 45.249 e na agropecuária 7.751. As cinco regiões do país registraram saldo positivo em setembro. A alta no Nordeste foi a maior, com 1,38%, somando 85.336 novos postos, seguido pelo Norte, com aumento de 1,15% e 20.640 novas vagas de emprego com carteira assinada. No Sul, a alta foi de 0,85% e 60.319 novas vagas, no Sudeste, 0,65% e 128.094, e no Centro-Oeste, 0,59% e 19.194 novas vagas.

A capacidade para criar postos de trabalho é um dos termômetros para medir o desempenho econômico do país. Em abril, no auge da crise causada pelo novo coronavírus, o Caged registrou saldo negativo de 927.598 demissões a mais que contratações. A taxa de desemprego brasileira somou 13,5 milhões de brasileiros em setembro, alta de 4,3% em comparação ao mês anterior, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados fazem parte do levantamento mensal da Pnad Covid-19que mede os efeitos da pandemia do novo coronavírus no país.  O avanço da população desocupada bateu recorde em setembro e acumula alta de 33,1% desde o início da pesquisa. A taxa de desocupação subiu de 13,6% em agosto para 14% em setembro, também a maior da série histórica.

 

- Advertisment -

Ultimas Notícias

O mundo segundo Biden: mais do mesmo do visto na era Obama

Os iranianos estão contentes e os israelenses estão preocupados. Isso praticamente resume as expectativas em relação a um dos aspectos mais vitais do futuro...

Sputnik V tem eficácia acima de 95% após segunda dose, diz Rússia

A Rússia divulgou na manhã desta terça-feira, 24, que a potencial vacina Sputnik V tem eficácia acima de 95% conta a Covid-19. O imunizante...

Araraquara vive ‘madrugada de terror’ com tiroteios e veículos incendiados em assalto a banco

A cidade de Araraquara, no interior de São Paulo, presenciou uma “madrugada de terror” nesta terça-feira, 24, quando criminosos “fortemente armados” assaltaram uma agência...

Lockdown do Reino Unido termina em 2 de dezembro; restrições devem ser mantidas

O lockdown no Reino Unido vai terminar no dia 2 de dezembro, mas as restrições ainda vão levar algum tempo para passar. O primeiro-ministro britânico,...