25.6 C
Brasil
terça-feira, novembro 24, 2020
Início Corona Vírus Anvisa autoriza importação de matéria-prima da Coronavac

Anvisa autoriza importação de matéria-prima da Coronavac

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, nesta quarta-feira, 28, a importação de matéria-prima para a produção de 40 milhões de doses da Coronavac, vacina chinesa que será produzida pelo Instituto Butantan, em São Paulo, contra o novo coronavírus. “A solicitação foi feita pelo Instituto Butantã para importação, em caráter excepcional, da matéria-prima para fabricação da vacina adsorvida Covid-19 (inativa), em estudo clínico fase III, ainda sem registro no Brasil. Os estudos ainda estão em andamento e não existe previsão de data para a vacinação”, diz um trecho do comunicado publicado no site da agência. Na sexta-feira, 23, a Anvisa já havia autorizado a importação de seis milhões de doses da Coronavac, após decisão da Diretoria Colegiada.

“A Anvisa autorizou nesta quarta-feira (28/10), a importação em caráter excepcional da vacina na forma de um produto intermediário, isto é, produto não envasado, fabricada pela empresa Sinovac Life Sciences Co. LTD. A solicitação foi feita pelo Instituto Butantã para importação, em caráter excepcional, da matéria-prima para fabricação da vacina adsorvida Covid-19 (inativa), em estudo clínico fase III, ainda sem registro no Brasil. Os estudos ainda estão em andamento e não existe previsão de data para a vacinação. O tema foi discutido em Circuito Deliberativo, entre esta terça-feira (27/10) e quarta-feira (28/10). O Circuito Deliberativo é uma instância de votação on-line dos diretores da Agência. A autorização definiu algumas condições para a importação excepcional. A decisão e o teor do voto estão disponíveis aqui”, afirma a íntegra da nota.

A Coronavac tem sido alvo de disputa entre o presidente Jair Bolsonaro e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). No início da última semana, o Ministério da Saúde anunciou a intenção de comprar 46 milhões de doses da vacina. Horas depois, diante da repercussão nas redes sociais, Bolsonaro mandou cancelar a compra – a seguidores, nas redes sociais, o presidente chegou a dizer que a compra do imunizante chinês seria uma traição.

- Advertisment -

Ultimas Notícias

Lewandowski diz que governo não pode escolher vacina com base em sua origem

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que o governo não pode escolher a vacina contra a Covid-19 pautada por “critérios...

Ibovespa encosta nos 110 mil pontos e renova máxima de fevereiro; dólar cai

Pelo segundo dia consecutivo, o Ibovespa, o principal índice da Bolsa de Valores brasileira, renovou a máxima de fevereiro com o impulso dos mercados...

Paulo Figueiredo: Com aumento de casos de Covid-19, Brasil deve pensar na economia e aprender com erros

Um monitoramento da Imperial College, no Reino Unido, afirmou nesta terça-feira, 24, que o Brasil atingiu índice de 1,30 na transmissão do novo coronavírus...

Macron diz que vacinação começará no fim do ano ou em janeiro

O presidente da França, Emmanuel Macron, anunciou que pretende iniciar a vacinação da população contra a Covid-19 no “final de dezembro ou início de...