O procurador-geral da República, Augusto Aras, se reuniu no domingo (17) com subprocuradores, em Brasília. O objetivo do encontro, segundo o blog de Andreia Sadi, era discutir os impactos de eventual alteração das regras de uso de dados sigilosos do Coaf, atualmente chamada de Unidade de Inteligência Financeira. Em julho, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, suspendeu o uso de dados do Coaf em investigações ao atender a um pedido da defesa do senador Flavio Bolsonaro. Na quarta-feira (20), o plenário do STF decide sobre o tema. Aos subprocuradores, diz o blog, Aras disse ter preocupação com as alterações nas regras exigidas pelo órgão internacional de combate à corrupção, o Gafi, pois se o STF acompanhar Toffoli o Brasil pode ser considerado paraíso fiscal por exigir menos discrição na realização de movimentação financeira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui