Siga-nos

Plataforma lançada nos EUA agrega notícias com links para site de parceiros e pagará de US$ 1 milhão a US$ 3 milhões anualmente pela reprodução de manchetes

Por Garret Sloane, do Ad Age*

O Facebook inaugurou, nesta sexta-feira, 25, um hub de notícias onde pagará aos publishers para hospedarem suas manchetes e conduzir visitantes aos sites de parceiros. A estratégia, inicialmente focada no mercado dos Estados Unidos, faz parte de uma reaproximação da plataforma com a indústria, que tem sofrido com o crescimento da rede social e de outras plataformas.

Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, receberá parceiros de mídia em um evento em Nova York para divulgar a notícia. Parceiros têm trabalhado com o Facebook há meses para lançar o serviço. Entre eles: The Washington Post, The Wall Street Journal, BuzzFeed, CNN, Fox, Bloomberg, Condé Nast e outros.

A iniciativa é a última em uma longa linha de produtos que foram testados para melhorar o desempenho de mídia dentro de sua plataforma. Nos últimos anos, lançou o Instant Articles, vídeos sugeridos e o Facebook Watch, por exemplo.

Apesar de todos os produtos, diversas empresas consideram frustrante o desempenho na rede social. Publishers têm feito críticas sistemáticas a Facebook, Google, Apple e outras empresas por terem lucros bilionários com serviços de conteúdo, mas sem compartilhar a receita com quem produz.

relacionado

Para defender Libra, Zuckerberg volta ao Congresso

O Facebook News deve hospedar cerca de 200 parceiros de mídia. Alguns deles serão pagos diretamente, segundo publishers ouvidos pelo Ad Age. A empresa não quis comentar os termos das parcerias.

Um executivo de mídia que participará do projeto afirmou que a empresa pagará de US$ 1 milhão a US$ 3 milhões, dependendo da empresa. Ao todo, o Facebook poderá investir mais de US$ 100 milhões anualmente. “É dinheiro de graça”, afirmou o executivo. “Ninguém recusará a oferta, a não ser que estejam em algum tipo de briga moral contra o Facebook”. Ainda não está claro se o The New York Times fará parte do projeto.

“É importante para nós que a Meredith esteja em um ambiente que respeita o conteúdo de alta qualidade”, afirmou a executiva, “e trabalhar com uma companhia que possa suportar outras empresas como a nossa e que criam esse conteúdo”.

Uma das forças por trás do hub de notícias é a apresentação de uma seleção de notícias que têm mais verificações do que as que aparecem no News Feed. O Facebook contratou uma equipe de jornalistas que escolhem quais artigos aparecerão no Today’s Stories. A companhia afirmou que o time estará mais bem equipado para identificar as melhores reportagens das publicações que são, recorrentemente, o conteúdo com mais valor.

“Esse time é independente, livre de intervenção editorial de qualquer pessoa na empresa”, afirmou a empresa, em comunicado. O Facebook News tem sido comparado ao Apple News, que é, também, uma plataforma altamente seletiva comandada por editores.

O algoritmo da plataforma personalizará parcialmente o hub, entretanto. Dessa forma, usuários poderão consumir histórias baseadas em seus padrões de leitura. “Quando falamos de personalização, os publishers se preocupam sobre as limitações do machine learning. E eles estão certos”, afirmou a plataforma. “Temos progresso a ser feito antes de podermos confiar na tecnologia por si só para prover conteúdo de qualidade”.

*Tradução: Salvador Strano

**Crédito da imagem no topo: divulgação

Claro, Italac, Motorola e Óticas Diniz estarão na competição musical que estreia neste domingo, 27, na Globo

Acordo só envolve países que falam espanhol e, por ora, Brasil está fora por restrições da Lei da TV Paga

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui