O abono PIS/Pasep é voltado aos que trabalharam com a carteira assinada por determinado período. Atualmente, o ano-base do benefício é 2018. Ou seja, quem trabalhou com carteira assinada por, pelo menos, 30 dias em 2018, tem direito ao abono.

Porém, para isso, é necessário que o trabalhador esteja filiado ao PIS/Pasep há, no mínimo, cinco anos. Além disso, o empregador deve ter informado corretamente os dados do trabalhador na Relação Anual de informações Sociais (Rais) de 2018.

É importante lembrar que o PIS é pago pela Caixa Econômica Federal ao trabalhador de setor privado, enquanto o Pasep é pago pelo Banco do Brasil ao servidor público. Ambos seguem calendários divulgados pelos próprios bancos.

Calendário de saque do abono PIS

O calendário de resgate do PIS é baseado na data de nascimento do trabalhador. Estes passaram a receber a partir de 25 de julho de 2019 e receberão até o dia 19 de março de 2020. Confira o cronograma na tabela abaixo:

Calendário de saque do abono Pasep

O calendário de resgate do Pasep é baseado no número do dígito final de inscrição do servidor. Estes passaram a receber a partir de 25 de julho de 2019 e receberão até o dia 19 de março de 2020. Confira o cronograma na tabela abaixo:

Calendário Pasep

Quanto sacar de PIS/Pasep

Como dito anteriormente, quem trabalhou por, no mínimo, 30 dias de carteira assinada em 2018, tem direito ao abono. Quem esteve em exercício durante esse período, recebe R$ 84,00. Já quem trabalhou por 12 meses de carteira assinada, recebe R$ 998,00. Confira abaixo:

  • 01 mês: R$ 84,00;
  • 02 meses: R$ 167,00;
  • 03 meses: R$ 250,00;
  • 04 meses: R$ 333,00;
  • 05 meses: R$ 416,00;
  • 06 meses: R$ 499,00;
  • 07 meses: R$ 583,00;
  • 08 meses: R$ 666,00;
  • 09 meses: R$ 749,00;
  • 10 meses: R$ 832,00;
  • 11 meses: R$ 915,00;
  • 12 meses: R$ 998,00.

Leia também: PIS/Pasep será extinto com a nova reforma tributária?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui