Nesta terça-feira, em julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, o técnico Jorge Jesus foi condenado a uma partida de suspensão convertida em advertência após ser denunciado por ações no jogo contra o Athletico-PR, vencido por 2 a 0 pelo Rubro-Negro. Portanto, o português não vai desfalcar o Flamengo em partidas do Campeonato Brasileiro.

Jesus respondeu por ofender a arbitragem e ter uma atitude antidesportiva na entrevista coletiva após a partida. Na ocasião, ele reclamou de um pênalti em que a arbitragem voltou atrás na marcação após consultar o VAR. O português foi enquadrado em dois artigos do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD): 243-F e 258. Ele poderia ficar até 12 jogos suspenso, seis por cada denúncia.

Além disso, o Flamengo terá que pagar multa de R$ 2 mil por atraso de dois minutos na volta para o segundo tempo nesta mesma partida. Jesus não esteve no STJD e foi defendido pelo advogado do Flamengo, Michel Assef Filho.

Relembre as falas de Jorge Jesus na entrevista coletiva:

– Sabíamos que o jogo ia ser difícil pela qualidade do Athletico, pelas condições do sintético, jogo completamente diferente. Já viemos preparados. Não vinha preparado para jogar contra duas equipes, contra o árbitro, mas contra o Atlhetico – afirmou Jesus.

– Quem toma essas decisões tem que ser penalizado. Não pode tomar uma decisão e nem estar no campo para fazer outras asneiras. Não tem capacidade. Nem sei quem foi, mas não pode andar no VAR. Vai para casa, férias. E para não prejudicar o árbitro, que teve decisão certa, mas foi influenciado pelo VAR. Não pode passar impune. Quando um VAR não tem capacidade com todas as ferramentas que tem, não pode. Não tem capacidade, é como todas as profissões, é para os melhores – completou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui