São Paulo, Brasil

A tristeza de Fábio Carille se justifica.

Foi ele quem indicou, ainda em 2018, que Gabigol seria perfeito para o Corinthians.

Conhecia seu potencial desde a base.

Veja mais: Dirigente diz que Flamengo vai fazer proposta ‘contundente’ por Gabigol

Sim, precisava se adaptar ao futebol moderno, esquecer as mordomias que sempre teve no Santos. Ter o time ofensivamente jogando para ele, enquanto, canhoto, esperava a bola do lado direito para cortar pelo meio e chutar ao gol adversário.

Ele tinha potencial físico e técnico para fazer mais, só que estava acomodado, viciado a não ser cobrado. Suas atuações eram suficientes. 

E Gabigol acreditava que seria assim onde pisasse.

O nome do jogador chegou também ao Palmeiras. Mas Alexandre Mattos já tinha dor de cabeça com o caríssimo Borja. Não quis nem imaginar pagar R$ 1,3 milhão livres de impostos ao jogador.

Gabigol foi uma promessa de campanha de Rodolfo Landim. Ele fez parte do grupo de Bandeira de Mello, ex-presidente que reorganizou as finanças na Gávea, acabou com dívidas que beiravam os R$ 700 milhões,mas foi expurgado pelo fracasso no futebol.

Veja mais: Cada vez mais rejeitado, o Paulista traz boa novidade. A quarentena

Landim convenceu o jogador a trocar o Santos pelo Flamengo. Por um empréstimo de um ano. O atacante estava irritado com os atrasos de salários na Vila Belmiro. 

Os dirigentes rubro negros e Abel, na época, mostraram o cenário aberto para um grande ídolo na Gávea. E o lugar seria dele.

A Inter de Milão não colocou obstáculo, mas fez questão de não estipular um preço. Por conta da baixa idade do jogador e porque ainda havia alguns defensores do atacante na diretoria do clube italiano.

O Flamengo aceitou. Landim esperava que ele custaria, se desse tudo certo, entre R$ 40 e R$ 60 milhões.

Só que deu certo demais.

Com a chegada de Jorge Jesus, o jogador finalmente teve todo o seu potencial explorado. A começar pelo físico.

O português o fez se tornar um atleta de verdade. Acabou com a história que o lugar de jogar é do meio para a direita. Ele teve de reaprender a correr por toda a intermediária.

Passar a entender taticamente a movimentação do ‘novo Flamengo’. Saber como Arrascaeta e Everton Ribeiro o iriam descobrir para concluir.

Veja mais: Mortes, prisões. Rio trava invasão de bandidos no Maracanã

E acompanha, na velocidade, Bruno Henrique.

Além disso, desenvolveu chutes com o pé direito e cabeçadas.

Jorge Jesus o remoldou.

Gabigol entrou de cabeça nas orientações.

Porque ele tinha a palavra de honra do treinador que a elite do futebol europeu voltaria a se interessar pelo atacante brasileiro.

E, artilheiro absoluto do Brasileiro com 19 gols.

Veja mais: Depois do falso boato de Luxemburgo, Zé Ricardo assume

É o goleador do Flamengo na Libertadores, com sete gols.

Tem tudo para igualar Zico e Coutinho, do Santos, artilheiros da Libertadores e do Brasileiro no mesmo ano.

Tite redescobriu um novo jogador e o reconvocou para Seleção Brasileira, depois de três anos.

Com tudo o que está fazendo, Gabigol teve uma supervalorização.

O Flamengo já se preparava, como antecipou o blog, para contratar o jogador em definitivo. Acreditava que 15 milhões de euros seriam suficientes, cerca de R$ 60 milhões. 

A Inter pagou 25 milhões de euros ao Santos, em 2016, cerca de R$ 91 milhões, na época.

Foi um fracasso na Itália, emprestado ao Benfica onde também não agradou, a ponto de ser devolvido antecipadamente. A saída foi voltar ao Santos emprestado.

Veja mais: Nem entre 30 melhores do mundo. E Neymar ainda ostenta uma Ferrari

A reviravolta fez com que Gabigol passasse a custar muito mais. Empresários comentam que a Inter de Milão quer pedir pelo jogador os mesmos 25 milhões de euros que pagou. O que fariam seus direitos chegarem a R$ 101 milhões.

O Flamengo sabe que fará a maior proposta já feita por um clube brasileiro a um atleta.

Ainda mais se vencer a Libertadores e o Brasileiro.

Pessoas ligadas a Gabigol nunca o viram tão feliz.

Veja mais: Inter não quer o problemático Luxemburgo. De jeito nenhum

Mas ele mesmo fez uma promessa que venceria na Europa.

Mostraria que foi injustiçado pela Inter.

Foi feito um julgamento definitivo por sua imaturidade.

A contratação foi ridicularizada pela imprensa italiana.

Sem a vontade de Gabigol ficar, o Flamengo não conseguirá contratá-lo.

Ele tem mais dois anos de contrato com a Inter.

A situação é muito delicada.

E Gabigol não se posiciona.

Veja mais: Gabigol e Bruno Henrique: a dupla de artilheiros implacável do Fla

Está claramente dividido.

“O problema não é comigo. Tenho dois anos de contrato com a Inter de Milão. O empréstimo com o Flamengo vai até o final do ano. Farei o que prometi. Estou dando o meu máximo. 

“Quanto ao meu futuro quem decidirão são os clubes….”

Curta a página do R7 Esportes no Facebook

Veja melhores imagens da goleada do Flamengo sobre Grêmio

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui