Pedido foi feito pela defesa para mostrar o real estado de saúde do preso e que ele não tem condições de continuar na cadeia.

João de Deus chega para fazer novos exames de saúde, em Goiânia — Foto: Sílvio Túlio/G1
João de Deus chega para fazer novos exames de saúde, em Goiânia — Foto: Sílvio Túlio

João de Deus deixou o presídio novamente nesta segunda-feira (26) para a realização de novos exames. Acusado de abusos sexuais durante atendimentos espirituais, ele será examinado na Junta Médica do Tribunal de Justiça de Goiás, onde passará por uma avaliação psiquiátrica e uma clínica.

Essa é a segunda vez em menos de uma semana que João de Deus deixa o Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, onde está preso há mais de oito meses, para passar por exames. Na última sexta-feira (23), ele foi a um hospital, onde passou por uma tomografia.

Segundo o TJ, João de Deus deve ser avaliado, inicialmente, por três psiquiatras e, em seguida, por três médicos clínicos. A perícia deve durar cerca de 3h.

João de Deus chegou ao prédio às 10h35, mais de 1h depois do horário previsto. Ele estava em um carro da escolta prisional e era acompanhado por alguns agentes armados. Desceu usando uma bengala.

O advogado de João de Deus, Anderson Van Gualberto, disse que a perícia foi um pedido da defesa para comprovar que ele não está em condições de permanecer no presídio.

“Havia vários pedidos para que ele passasse por essa avaliação. Então a Justiça condensou todos eles em um só e conseguiu um horário. O intuito é atestar a real condição dele e constatar que ele precisa ir para prisão domiciliar, como pleiteamos”, disse.

De acordo com o TJ, o laudo atestando as condições clínicas e psiquiátricas de João de Deus deve ficar pronto entre 10 e 15 dias.

João de Deus, quando fez exames em hospital de Aparecida de Goiânia na sexta-feira (23) — Foto: Renata Costa/TV Anhanguera
João de Deus, quando fez exames em hospital de Aparecida de Goiânia na sexta-feira (23) — Foto: Renata Costa/TV Anhanguera

Prisão

João de Deus está preso desde 16 dezembro de 2018. Ele sempre negou que tivesse abusado sexualmente de mulheres e adolescentes que o procuravam na Casa Dom Inácio de Loyola para atendimentos espirituais.

Em março, João de Deus foi levado para um hospital de Goiânia. Ele ficou mais de dois meses internado com um aneurisma no abdômen. Por determinação da Justiça, voltou ao presídio em 6 de junho, onde está desde então.

A defesa dele vem tentando que ele seja transferido para a prisão domiciliar, mas teve o pedido negado diversas vezes. A mais recente foi no dia 8 de agosto.

Processos

Ao todo, o Ministério Público de Goiás ofereceu 11 denúncias contra João de Deus sendo nove por crimes sexuais:

  • Cinco por crimes sexuais: algumas delas já com audiências judiciais realizadas.
  • Uma por crimes sexuais, corrupção de testemunha e coação: ainda não teve audiência;
  • Uma por crimes sexuais e falsidade ideológica: em fase de citação (comunicação ao réu);
  • Duas por posse ilegal de armas de fogo e munição: já tiveram audiências realizadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui